Caderno 1

Serra Talhada: Oposição ‘bate cabeça’ e dá folga ao prefeito

05 janeiro 2017
Anuncio

O prefeito de Serra talhada literalmente voa em ‘céu de brigadeiro’ e brinca de fazer política.

Sem um oposição forte e unida, o gestor da segunda maior cidade do Sertão de Pernambuco, usa e abusa, principalmente quando se trata de aprovar projetos, seja de que natureza for na Câmara de Vereadores local, formada por 17 vereadores, sendo 12 deles alinhadps ao gestor e de uma fidelidade invejável.

O chefe do executivo foi reeleito pelo PT mas não se intimidou em dizer que “não morre de amores pelo partido” e de que estará deixando a sigla. Isso não lhe trás problemas nem mesmo com seus atuais correligionários na Câmara, os vereadores Sinésio Rodrigues e Manoel Enfermeiro, ambos petistas históricos, mas que garantem analistas políticos da cidade, seguirão o prefeito.

A ‘folga’ do gestor é tanta que, segundo comentários de aliados seus, na última eleição para presidência da Câmara de Vereadores, o prefeito recomendou o nome do atual presidente, Nailson Gomes, e em reunião teria dito que não queria votos da oposição, mesmo assim, três vereadores oposicionistas ainda votaram no candidato governista, foram eles: Vera Gama, Dedinha Inácio e Gilson Pereira.

Essa postura dos vereadores acendeu, ou avivou, mais ainda a luz de atenção da bancada de oposição, que, conforme informações, desde as eleições, ainda não se reuniu para traçarem sua linha de atuação.

Outro episódio chama atenção dos políticos locais. Nesta segunda-feira (2), o Vereador Oposicionista, André Maio, o mais bem votado da bancada, em rede social denunciou que estaria sendo ‘perseguido’ pelo presidente do Legislativo, ele e outro vereador da oposição, Antonio de Antenor, justamente os dois únicos que não votaram em Nailson Gomes.

Apesar do presidente rebater a denúncia de Maio, que disse que ele (Nailson) havia lhe ‘tomado’ um cargo de chefe de gabinete, o oposicionista voltou a imprensa e disse que deverá impretar ação contar o presidente por ‘abuso de poder’.

Em meio a toda esta polêmica, que se arrasta desde o início da semana, os outros integrantes da bancada oposicionista não se manifestaram a respeito do assunto. “Era de se esperar que a oposição se unisse a favor de André Maio, mas ninguém disse nada, isso mostra que estão desunidos, cada um tratando de si… isso é bom para o prefeito”, comentou um analista.

Até agora, nem mesmo se conhece o nome do líder da bancada oposicionista, que terá a árdua tarefa de fazer a mesma falar o mesmo idioma.

Sebastião (presidente do PR estadual), tem que chamar esse pessoal e ter um conversa séria, senão vai se repetir o desastre da gestão passada quando a oposição praticamente não existiu na Câmara“, alerta o analista.

Compartilhe:

Sobre o Autor

Redação Carderno 1

Posts Relacionados

Curta Nossa Página