Caderno 1

Serra Talhada: Governo Municipal adota a ‘lei do silêncio’ para abafar denúncias contra a gestão

18 abril 2017
Anuncio

Tem se multiplicado as denúncias contra a gestão do prefeito Luciano Duque (PT) reeleito na eleição de 2016. A maioria das denúncias são uma repetição de outras que aconteceram na sua gestão anterior (2013/2016). Boa parte se refere a débitos que ainda rolam da gestão passada. Alguns credores, como é o caso da Papiro Comunicação e Marketing, que foi responsável para Assessoria de Imprensa do Município no início da primeira gestão de Duque, que reclama de débitos vencidos em 2014 “as notas fiscais estão conosco, foram emitidas, recolhemos os impostos e por mais que tentamos, nada se resolve, é um verdadeiro jogo de empurra, cada setor acusa o outro” diz um dos sócios da empresa.  Também outros prestadores de serviços fazem reclamação semelhantes, entre eles estão motoristas da Secretaria de Educação e também os pequenos produtores rurais que fornecem alimentos para merenda escolar, através do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar). Sobre este assunto, algumas famílias fizeram contato com o programa O X DA QUESTÃO da Rádio Líder FM e denunciaram que não recebem o pagamento pelas mercadorias fornecidas.

Quando da denúncia dos fornecedores do PNAE o Caderno 1 fez contato com o secretário de Educação do Município, no entanto o mesmo disse que seguindo determinações do Governo, não poderia fazer nenhuma declaração “toda declaração tem que ser feita pelo departamento de comunicação da prefeitura“, disse ele.

Procurados, a Assessoria de Imprensa do Governo de Serra Talhada resumiu-se a informar que não existia débito pendente.

Fontes ligadas ao PNAE, garantiram nesta segunda-feira (17) ao Caderno 1 que existe sim um débito relativo a contrapartida do município num montante superior a R$ 100 mil, jogando por terra o comunicado oficial da prefeitura.

Fora os débitos, denúncias de falta de Ônibus para pacientes do TFD (Tratamento Fora do Domicílio), situação precária da Casa de Apoio municipal no Recife e também da ingerência de apadrinhamento político de vereadores para poder usar o TFD e até mesmo liberar autorizações na Central de Regulação, são reclamações corriqueiras.

O Caderno 1, assim como o programa o X DA QUESTÃO, vem insistentemente tentando falar com alguns secretários municipais, para tratar destes assuntos, no entanto esbarra na determinação de que não podem dar entrevistas ou declarações, a não ser com autorização da Assessoria de Imprensa do Governo.

Obedecendo a determinação, o X DA QUESTÃO tem feito convites através da Assessoria, mas tem recebido apenas o silêncio como resposta.

Em conversa com o Caderno 1 nesta segunda-feira, um integrante da cúpula do governo, informalmente revelou que de fato existe a determinação de “se fazer silêncio“, disse ele e especificou: “principalmente não falar com o Caderno 1 e o X DA QUESTÃO“, relatou.

Compartilhe:

2 Comentários

  1. Douglas says:

    O Governo tá mais do que certo. Se quando tá andando tudo certo a imprensa não tá nem ai, porque tem que tá dando resposta às denúncias? Agora uma questão é correta, o direito de quem deve é pagar!

  2. Fernando says:

    Tem também a situação da casa dos Estudantes de Serra Talhada que ninguém fala.

Deixe seu comentário

Sobre o Autor

Redação Carderno 1

Posts Relacionados

Curta Nossa Página